Bem-estar Comportamento Exercícios Hard

Quer se livrar da celulite? Tire quatro dúvidas sobre esses famigerados furinhos

mulher-mostra-pernas

Dá para ser uma gordinha sem celulite? Exercício físico ajuda a combater os famigerados furinhos na pele? São tantas dúvidas sobre esse assunto. Veja aqui quatro questões respondidas por especialistas e publicadas na revista GLOSS:

1. É possível ser gordinha e não ter celulite?
Já é praticamente impossível ser mulher e não ter celulite, imagina então se estiver acima do peso, com gordurinhas localizadas! Aí seria um milagre, né. Mas é possível reduzir a quantidade de furinhos com os cuidados certos: malhação, alimentação mais regrada e massagens, como a drenagem linfática.

2. A celulite pode aparecer em qualquer parte do corpo?
Onde há gordura, pode haver celulite! Os furinhos são mais comuns nas coxas, no bumbum e na barriga. Mas podem aparecer até nos braços. Que medo, hein!

3. Exercícios físicos ajudam na prevenção?
Sim. Atividades aeróbias (como caminhadas, corridas e pedaladas) aumentam o gasto calórico. Quando o corpo queima mais calorias do que consome, vai buscar nos depósitos de gordura a energia para manter-se funcionando. Já os exercícios anaeróbios (como a musculação) criam uma boa base para a pele, o que ajuda a reduzir o aspecto ondulado.

4. Salto alto melhora o problema?
Não. Pelo contrário, o uso diário de salto pode piorar o problema. Isso porque, ao andar, os pés fazem uma alavanca que funcionam como uma drenagem linfática leve. De salto, os pés ficam parados na mesma posição e o bombeamento não rola. Nesse caso, a circulação piora e pode haver acúmulo de líquidos nas pernas – um dos fatores da celulite. As roupas justas também podem causar o mesmo problema.

(Fontes consultadas pela revista GLOSS: Alexandre O. Okubo, dermatologista da Clínica Prime Medicina; Doris Hexsel, dermatologista; Larissa Nobre e Diana dos Santos, esteticistas do Olímpia Spa; Paula Rahal, dermatologista da Clínica Stesis, Rogério Tercio Ranulfo, dermatologista; Valéria Campos, dermatologista)

(Com reportagem da revista GLOSS)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *