Análises Comportamento Copas do Mundo Destaque Mundo Sociedade Turismo

Mundo Rosa – Deu ruim para os ”meninos” que humilharam mulher na Rússia

O Ministério Público Federal irá investigar por crime de injúria a vida dos ”meninos” brasileiros que ficaram famosos no mundo por assediarem mulher russa fazendo vídeo hostilizante

O MPF-DF (Ministério Público Federal no Distrito Federal) decidiu nesta 4ª feira (20.jun.2018) abrir uma investigação criminal para identificar os brasileiros que assediaram uma mulher na Rússia e divulgaram o vídeo na internet.

No vídeo divulgado por 1 dos brasileiros em sua rede social, o grupo usa palavras que remetem ao órgão sexual feminino e se diverte ao fazer a mulher repetir o que dizem, mesmo sem entender o idioma português.

De acordo com a decisão, o MPF-DF o ato será investigado como crime de injúria. Para o órgão, o ato “de cunho nítido machista e discriminatório” do grupo fez com que a honra da mulher fosse humilhada publicamente, além de fazer com que sua dignidade fosse denegrida.

“[Fazer a mulher] repetir em coro e em estribilho palavras de baixo calão referente ao órgão genital feminino, sem que essa tivesse o conhecimento do idioma e do conteúdo da palavra repetida, fazendo com isso com que a humilhasse publicamente a honra e denegrisse sua dignidade, diante de seu cunho nítido machista e discriminatório”, diz o MPF.

A abertura de investigação será foi tomada com base nos artigos 1 e 3 da Convenção Internacional sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher.

O Artigo 1 estabelece: “Discriminação contra a mulher significará toda a distinção, exclusão ou restrição baseada no sexo e que tenha por objeto ou resultado prejudicar ou anular o reconhecimento, gozo ou exercício pela mulher, independentemente de seu estado civil, com base na igualdade do homem e da mulher, dos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural e civil ou em qualquer outro campo”.

O Artigo 3, na sequência, define: “Os Estados Partes [da convenção] tomarão, em todas as esferas e, em particular, nas esferas política, social, econômica e cultural, todas as medidas apropriadas, inclusive de caráter legislativo, para assegurar o pleno desenvolvimento e progresso da mulher, com o objetivo de garantir-lhe o exercício e gozo dos direitos humanos e liberdades fundamentais em igualdade de condições com o homem”.

Além disso, o MPF afirma que o processo investigatório pode ser aberto com base no artigo 7 do Código Penal, em que crimes praticados por brasileiros no exterior podem ficar sujeitos à lei brasileira.

 

 

Da Redação com informações do Poder360