Categoria dos Arquivos: Saúde

AlimentAÇÃO Destaque

Brasil prepara criadouros para a alimentação humana

Publicado por:

Cerca de 2,5 milhões de pessoas no mundo se alimentam de insetos. Será que a população brasileira vai se somar a elas? Alguns criadouros de insetos para alimentação humana já foram implantados no país.

Comer insetos é uma prática comum em várias localidades. Estima-se que cerca de três mil povos espalhados em 120 países consomem insetos regularmente em sua alimentação.

Aqui no Brasil comer esses pequenos animais não é comum, mas há quem diga que a moda pode pegar. Será mesmo? Pelo menos é no que apostam alguns empresários. Em Minas Gerais já existem criadouros de baratas, grilos, gafanhotos, entre outros insetos.

À princípio, os criadouros eram puramente para a produção de uma ração animal altamente proteica, já que os insetos são ricos em proteínas. No entanto, os empresários viram nisso uma oportunidade de negócio alimentício para humanos e então começaram a produzir também insetos para esse fim.

Embora os bichinhos pareçam nojentos, o controle de qualidade é bem grande, ou seja, eles são bem limpinhos e crescem em um ambiente estéril.

Colapso na indústria de alimentos

Parece improvável que os insetos se tornem fonte de alimentação no nosso país, no entanto, estudiosos apontam que até o ano de 2050 a população mundial poderá ultrapassar os 10 bilhões.

Atualmente, cerca de dois terços das terras disponíveis são usadas para a produção de alimentos, até lá o número deve aumentar. Isso pode criar um verdadeiro colapso na indústria de alimentos, que terá que produzir mais alimentos, em menos espaço proporcional e numa menor quantidade de tempo.

Nesse sentido, os insetos podem se tornar uma saída, pois demandam menos espaço e se reproduzem facilmente e em grande volume. Além disso, enquanto fonte de proteínas, eles podem ser mais eficientes.

Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais apontou que os grilos, por exemplo, possuem quatro vezes mais proteínas do que as vacas. Para ter uma ideia, os grilos consomem 1,7 kg para produzir 1kg de proteína animal, enquanto as vacas necessitam ingerir 7,7 kg para produzir o mesmo 1 kg de proteína.

O mesmo vale para porcos e frangos, o porco precisa consumir 3,6 kg para produzir 1 kg de proteína animal, já os frangos 2,2. O carneiro só não perde para as vacas, ele precisa de 6,3. Por esse motivo, estudiosos afirmam que os insetos podem acabar com a fome no mundo.

Benefícios ao meio-ambiente

Além de mais nutritivos, os insetos também podem beneficiar o meio-ambiente, porque liberam menos substâncias nocivas durante a sua produção. Os porcos, por exemplo,  liberam cerca de 8 a 12 vezes mais amônia do que os grilos e 50 vezes mais do que os gafanhotos.

A amônia é um dos gases responsáveis pelo efeito estufa, quanto maior a produção animal, maior a liberação do gás, e maior também é o estrago no clima do planeta. Estrago esse que poderia ser reduzido com a inclusão deste bichinhos na nossa alimentação como fonte proteica.

Apesar de tantos benefícios, é provável que os insetos para alimentação humana necessitem romper uma grande barreira cultural, além de intensas fiscalizações sanitárias. De qualquer maneira, fica a dúvida: Será que um dia vamos comer insetos?

 

Destaque Saúde

Gesso é passado: designer inventa peça que acelera recuperação de fraturas

Publicado por:

Quem nunca engessou o braço ou a perna, jamais teve a chance de exibir as canetadas e assinaturas que se tornaram “símbolo” dos tombos e quedas de bicicleta, skate e outras improváveis formas de “se quebrar” por aí.  E para quem nunca viveu nada disso,  saiba que o gesso pode estar com os dias contados.

Isso porque, o designer industrial turco Deniz Karasahin desenvolveu um produto que pode ser moldado de acordo com as medidas de cada pessoa e impresso em 3D.

Desenvolvido pelo turco Deniz Karasahin, o produto conecta-se a um equipamento de ultrassom.

Conhecido como Osteoid, o produto possui furos que permitem melhor ventilação, além de reduzir a coceira e o mau cheiro normalmente proporcionado pelo gesso.

Modernização…

Além de todas as vantagens, o novo conceito de mobilização pode ser ligado a um equipamento de ultrassom que promete acelerar o tratamento, 40% mais rápido que o procedimento atual. O produto ainda passa por fase de desenvolvimento.

 

Fonte: Catraca Livre

Comportamento Destaque Saúde

Empresa anuncia produto que elimina o álcool do sangue em até 2 horas

Publicado por:

Uma empresa uruguaia disse ter criado um xarope, batizado de Out Alcohol, capaz de eliminar do sangue qualquer sinal de álcool em até 2 horas.

De acordo com o site do fabricante, a Embotelladora Serrana, a pessoa precisa tomar o produto 30 minutos antes de consumir bebida alcoólica. Out Alcohol é eficaz para eliminar totalmente do sangue o álcool de três taças de vinho ou duas doses de uísque.

“Assim que o produto entra no sangue, começa a eliminar o álcool, já que acelera o metabolismo e faz com que ele seja expulso mais rapidamente pela urina”, explicou Tabaré Burgueño, presidente da Embotelladora Serrana ao jornal “República”.

A Embotelladora Serrana garante que a novidade no mercado do Uruguai não tem como objetivo ajudar os consumidores de álcool a passar incólumes pelo teste do bafômetro em blitz da lei seca. A ideia, diz a empresa, é eliminar os efeitos indesejados da ressaca.

A página do Out Alcohol no Facebook tem sido bastante visitada pelos jovens uruguaios. O produto tem feito sucesso na noitada de Montevidéu.

Fonte: O Globo